• Anne Caroline

Porque trabalhar mobilidade no Crossfit?

Apesar de nem sempre ser a parte favorita do treino, desenvolver sua mobilidade melhora não só o seu desempenho na técnica como também atua de forma preventiva, minimizando o risco de lesões.



O crossfit é reconhecido como uma modalidade de treino com grande crescimento a nível mundial e que, inevitavelmente, tem atraído cada vez mais praticantes, sejam eles atletas ou não, de faixa etárias variadas. Independente da categoria que você esteja incluído, todo praticante deseja alcançar uma melhor performance, e dentre as valências que precisam ser trabalhadas no treino nos deparamos constantemente com exercícios de mobilidade.


O que então significa mobilidade e qual sua importância?

Mobilidade é um conceito amplo definido como a habilidade das estruturas do corpo de se moverem ou serem movidas, permitindo que haja amplitude de movimento para as atividades funcionais.


Avaliando a partir de um ponto de vista fisiológico as articulações onde há a presença de cápsula articular (articulações sinovais), que possuem boa mobilidade e constância dos movimentos, geram não só a produção de liquído sinovial (líquido esse que nutre e lubrifica as articulações), como também o aumento da circulação sanguínea que levarão os nutrientes necessários através desse fluxo sanguíneo, mantendo o funcionamento desta estrutura de forma adequada.



Outro beneficio é a diminuição da tensão muscular (espasmo musculares). Os músculos que estão envoltos nas articulações sem mobilidade tendem a desenvolver tensões, enfraquecimento ou encurtamentos, seja por desuso ou por uso excessivo atribuído por má utilização. Quando trazemos esse conceito para a prática do Crossfit entendemos o quão necessário se faz o treino de mobilidade, pois, se não existe amplitude de movimento isso torna ineficiente a realização da técnica, ou seja, submeter sua articulação a trabalhar além do limite permitido por ela pode resultar em uma sequência de mecanismos compensatórios que causam stress além do normal nas articulações.


Quando falamos da mobilidade lembramos só dos movimentos ginásticos (toes to bar, muscle up, pistol, etc) exigidos na prática do Cross. Mas tanto nos ginásticos quanto nos LPO (overhead squat, front squat, thruster,etc), para o corpo trabalhar de forma eficiente precisa da sua amplitude de movimento liberada para realizar os movimentos sem gerar sobrecargas em outras estruturas.


Levando em consideração esses aspectos, dedique um tempo à sua mobilidade e procure um profissional de confiança para te orientar. Não se limite a trabalhar sua amplitude apenas nos treinos. Vale ressaltar que quando orientado de forma adequada a mobilidade se torna uma ferramenta útil tanto na prevenção de lesões quanto na utilização correta daquela estrutura, deixando seu desempenho mais efetivo.


Independe da sua amplitude articular ser boa ou ruim saiba que a prática do Crossfit se trata de uma “construção corporal” que é desenvolvida dia após dia. Por isso, aprenda a respeitar seus limites, trabalhe seus pontos fracos e conheça seu corpo acima de tudo, para que os seus resultados alcançados não sejam em detrimento da sua integridade física!



81 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo