• Rafaelle Pessoa

"Força é o que interessa". Será? E o resto?!

Dá-lhe jogar peso pra cima! Coisa linda de se ver!!! Até que surge uma careta e o peso cai de qualquer jeito...

Está feito o perrengue. Alguma coisa aconteceu. Uma lesão? Que pode ser desde uma contratura até um estiramento ou algo mais grave. E a culpa foi de quem? Do coach, que deixou, e as vezes ainda estimulou, o ser humano a colocar peso para cima sem a mecânica correta ou foi do ser humano que botou peso sem o coach ver e jogou para cima de qualquer jeito?!


E agora?

Primeiro vamos entender o que aconteceu. O Crossfit nasceu na América e lá foi amplamente difundido como um esporte de alta intensidade, praticado por atletas e para atletas!


Quando foi trazido para o Brasil ele foi “abrasileirado “, pois na nossa sociedade não temos a cultura do atleta em si, que se dedique, tanto no tempo quanto no dinheiro para alcançar algum objetivo que não seja o estético.


A galera cansada da rotina nas salas de musculação abraçou o crossfit e o inseriu em nossa sociedade. A modalidade traz a prerrogativa de uma vida fitness, voltada para uma alimentação mais saudável. Dessa forma foi introduzido na nossa cultura de sedentarismo e “futebolismo”, o que veio de uma cultura de militarismo e de atletas universitários, algo para uma sociedade que ainda está aprendendo a ser melhor.


Mas o que fica é a velha história de que acidentes acontecem... Todos os dias cenas como esta acontecem corriqueiramente no cenário do crossfit e em todos os cenários onde há a prática de exercícios físicos de alta intensidade!


A maioria não está pronta para os movimentos mais complexos, por mais que o coach seja o melhor, já que a maior parte da evolução sem incidência de lesões vem da dedicação do aluno em fazer as melhores escolhas a cada dia.


É claro que a modalidade está se aprimorando ao longo dos anos, e assim, começam a entrar na jogada a galera da ginástica olímpica e do LPO, que tem trabalhado em conjunto com os coach’s e estão cada vez mais desenvolvendo a melhor e mais eficiente forma de programar e estruturar uma evolução saudável e sólida.


Mas ainda vemos uma disputa na comunidade de quem faz os Snatch’s mais pesados (independente da mecânica do movimento) ou de quem faz o Deadlift com a maior carga. O que acontece é que isso não é O Crossfit. O Crossfit preconiza que o seu melhor atleta não é o melhor nem o mais forte em nada específico, nem em nenhum esporte, mas é o melhor que pode ser em todos os esportes e é isso que faz essa modalidade tão especial.


O crossfiter acredita que a mecânica consistente gera cargas eficientes e renovo para mente. O segredo está em quem programa o treino, mas a magia de quem se dedica!

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo