• Daniel Boico

10 métricas que todo negócio fitness precisa acompanhar

Atualizado: Ago 27

Saber quais métricas são importantes de analisar é um desafio para qualquer empreendedor. E não é diferente quando falamos em negócios fitness. As empresas de maior sucesso são aquelas que sabem ler os números corretos e utilizá-los como guias para tomar decisões.


Se você é gestor de um box de CrossFit e ainda não se guia por métricas, está mais do que na hora de mudar esta situação. A verdade é que não existe como separar uma boa administração de um pouco de matemática.


Estes dados precisam estar no início, meio e fim de todo plano ou estratégia elaborada por qualquer área da sua empresa. Por meio deles, podemos estudar de forma exata, sem achismos, o que funciona, o que não funciona e, com base nisso, tomar decisões mais assertivas.


Mas se você fizer uma busca no Google agora, possivelmente se sentirá confuso com a infinidade de métricas que podem ser analisadas. Por isso, tão importante quanto acompanhar os números é saber quais deles são relevantes para as especificidades da sua empresa.


No texto de hoje, você vai conhecer 10 principais métricas a serem analisadas em negócios fitness. Ficou interessado(a)? Vamos lá!

Qual a diferença entre métricas e KPIs?

Primeiramente, é importante entender que métricas e indicadores de desempenho, ou KPIs (do inglês, Keys Performance Indicator), são conceitos diferentes.


Métricas são os dados que coletamos das ferramentas, que podem indicar comportamentos e desempenhos, mas de uma forma mais bruta. Alguns exemplos comuns de métricas são: investimento em marketing, número de visitas e quantidade de vendas, quantidade de cancelamentos.


Já os KPIs são informações que indicam o desempenho de um uma ação, estratégia ou negócio. Na maioria das vezes, eles são calculados a partir do cruzamento de duas ou mais métricas. Alguns exemplos de KPIs são: taxa de conversão, CAC e LTV.


Dependendo do objetivo do negócio, uma métrica pode ser tratada como KPI por indicar, por si só, o alcance de um objetivo-chave.


No dashboard do CrossX, por exemplo, você tem acesso a métricas específicas do seu negócio fitness, como frequência, vendas, dados de faturamento e financeiros.

Modelo de recorrência

Lembre-se que quando falamos em boxes, academias, estúdios ou afins, estamos trabalhando com negócios recorrentes, que têm uma dinâmica completamente diferente dos tradicionais.


Na economia da recorrência, você não vende um produto, mas o acesso a um serviço. Neste modelo, o consumidor não faz o investimento total de uma vez só, mas uma assinatura, com preços mais baratos, distribuídos em planos periódicos. Por isso, é extremamente importante maximizar o tempo de permanência dos alunos na casa.


Assim, quando falamos em venda, precisamos considerar duas etapas:

  1. Aquisição de clientes: semelhante a um negócio tradicional, mas aqui a empresa recebe menos dinheiro inicialmente.

  2. Manutenção de clientes: quanto mais tempo um aluno permanece na sua base, mais lucro ele trará.

10 métricas e KPIs que não podem deixar de ser analisadas no seu box

  1. Investimento em vendas e marketing: tenha na ponta do lápis o quanto e onde você investe em marketing. Tem uma agência contratada? Funcionários dedicados para esta função? Investe em publicidade paga na internet? Treinamentos? Gráficas? Televisão ou rádio? Some tudo e estabeleça sua média mensal em gastos com estes setores.

  2. Quantidade de visitas: quantas pessoas em média visitam o seu box ou academia todos os meses?

  3. Quantidade de vendas: quantas destas visitas foram convertidas em vendas de planos?

  4. Quantidade de cancelamentos: quantos alunos cancelaram o plano, em média, nos últimos meses?

  5. Faturamento: é a soma de todos os valores obtidos com as vendas de produtos e/ou serviços na empresa em um determinado período. Ou seja, é todo o dinheiro que entra no caixa do seu negócio. Se o seu box recebeu a mensalidade de 50 alunos por R$ 200 este mês, o faturamento foi de R$ 10 mil.

  6. Taxa de conversão: com os dados de quantidade de pessoas que visitam seu box por mês e de vendas em mãos, divida a quantidade de vendas pela quantidade de visitas e multiplique o resultado por 100. Por exemplo: (25 vendas/ 50 visitas) x 100 Neste caso, a sua taxa de conversão seria de 50%.

  7. Taxa de cancelamento: também conhecida como Churn Rate, este KPI diz respeito à quantidade de pessoas que cancelaram o serviço recorrente contratado em sua empresa. Para calcular, divida a quantidade de cancelamentos pela quantidade de matriculados vigentes no mês e multiplique o resultado por 100. Exemplo: (5 cancelamentos/100 alunos vigentes) x 100 = 5% de Churn

  8. Ticket médio: refere-se ao valor médio das vendas de um período e pode ser calculado de forma bastante simples: Faturamento do mês / Quantidade de alunos pagantes no mês = ticket médio

  9. CAC: é o custo de aquisição de clientes, um indicador que aponta o gasto médio de todos os seus esforços para adquirir um cliente. Ou seja, mede quanto um cliente custa para ser convertido. Quanto menor o CAC mais lucro você tem com uma venda. O cálculo do CAC é simples: basta dividir a soma dos investimentos para adquirir um cliente pelo número de clientes conquistados em um determinado período. CAC = Soma dos investimentos / Número de clientes adquiridos Por exemplo, digamos que, em um mês, o seu box de CrossFit investiu R$ 1 mil e conquistou 10 clientes novos. Seu CAC é de R$ 100. Mas, atenção, a soma de investimentos deve considerar apenas os gastos envolvidos diretamente na aquisição de clientes, que geralmente envolve as áreas de marketing e vendas (inclua valores de salários e comissões de funcionários). Desconsidere, por exemplo, os custos com a área administrativa, coaches etc.

  10. LTV: lifetime value, ou valor de tempo de vida, é o valor que um cliente retorna ao longo do tempo. É uma métrica valiosa para empresas com venda recorrente ou com repetição. O LTV permite avaliar o valor viável para CAC. Se você já sabe o ticket médio do seu negócio, é muito fácil calcular o LTV: LTV = Ticket médio das vendas X número de compras do cliente ao longo do tempo. Assim, se o ticket médio de venda do seu box é de R$ 300 e a média de tempo que os clientes permanecem matriculados é de 7 meses, o LTV é R$ 2.100.


Quer estar mais atualizado, antenado, ter acesso a conteúdos exclusivos e fazer parte da comunidade do CrossX Descomplica? Então, entre no noso grupo do Telegram. Por meio dele, você também terá vantagens comerciais e pode tirar dúvidas pontuais de bate e pronto comigo.

Daniel Boico é publicitário e CEO da Boico Corp. Atua há mais de 10 anos, atendendo grandes players do mercado fitness e gerando soluções em marketing 360. Boico já ajudou centenas de proprietários de boxes de CrossFit no país, por meio da mentoria Well Done for Business. Também contabiliza mais de 150 boxes de CrossFit abertos em território nacional.

56 visualizações0 comentário